MENINAS  MAIS  SÁBIAS  QUE  HOMENS [Tolstói]

Era  uma  Páscoa  ainda  no  inverno.  Havia  restos  de  neve  nos  jardins  e  a  água  corria pelas  ruas  da  cidade. a Duas  meninas  se  encontraram  por  acaso  num  beco  entre  dois  quintais,  onde água  suja  que  descia  das  fazendas  formara  uma  poça  grande.  Uma  das  meninas era  muito  pequena  e  a  outra,  um  pouco  maior. …

Ilusões da vida [Francisco Otaviano]

Quem passou pela vida em branca nuvem E em plácido repouso adormeceu; Quem não sentiu o frio da desgraça, Quem passou pela vida e não sofreu: Foi espectro de homem, não foi homem, Só passou pela vida, não viveu. Francisco Otaviano

A UNS QUINZE ANNOS (1865)

M. L És doce e pura e saudosa Como um perfume de rosa, Que pouco a pouco de esváe: És como o frouxel d’um ninho, Os trinos d’um passarinho, Uma pétala que cáe. És alva e meiga e divina Como a nevoa peregrina Da madrugada ao surgir: O céu teu riso enamora, Os anjos formam…

PELO  VÔO  DE  DEUS  QUERO  ME  GUIAR

Não  quero  aparelhos Para  navegar. Ando  naufragado, Ando  sem  destino. Pelo  vôo  dos  pássaros Quero  me  guiar. Quero  Tua  mão Para  me  apoiar, Pela  Tua  mão Quero  me  guiar Quero  o  vôo  dos  pássaros Para  navegar. Ando naufragado, Ando sem destino, Quero Teus Cabelos Para me enxugar! Não quero ponteiro Para me guiar. Quero Teus…

MATER (1867)

Tu que soffres talvez, Mulher idolatrada, Bella estrella de amor, visão deslumbradora, Tu em cujo regaço a Castidade mora, Mãe! Mil vezes feliz! Mil vezes adorada! Tu que envias de longe a sombra fatigada Para guiar-me a vida e os passos hora a hora, Tu, meu casto Ideal! Imagem seductora, Onde eu pouzo chorando a…

ORAÇÃO A’ VIRGEM (1866)

A minha irmã Amelia Maria! Os prantos da vida São raios do teu fulgor Tu és a Rosa nascida Entre os espinhos da dor. Tu és a loira Esperança Da morte sobre a agonia E’s o Iris da bonança Oh casta e santa Maria! Tu és a divina aurora De todos que crêem em ti:…

Candura (1868)

Teus dias correm suaves, Bordados de loira luz, Como o pipillo das aves Nos horisontes azues. Tu’alma vai como a prece Dormir no coxim dos céos; O dia rompe e ellat desce, Quente dos braços de Deos! E como o orvalho escondido Entre os seios d’uma flor, Brilha teu seio adormido Nas rosas de teu…

Livros William J. Bennett

O Livro das Virtudes. Editora Nova Fronteira, 1995 – Baixar O livro das virtudes II – O compasso Moral. Editora Nova Fronteira, 1996 – Baixar

UBI NATUS SUM

Na Rua Augusta,em Santa Catarina, A cama em cima duns pranchões de pinho, A i nasci. Foi este o humilde ninho De uma criança mórbida e franzina. No fundo de uma loja pequenina, O lençol branco a arder na luz do linho, Da minha mãe, daquela mãe divina Tive o primeiro tépido carinho. Meu pai…

RIP VAN WINKLE

Washington lrving (Tradução de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira e Paulo Rónai) Todos aqueles que viajaram pelo Hudson acima devem lembrar-se das montanhas Catskill, que formam um ramo desmembrado da grande família dos Apalaches e se avistam ao longe, a oeste do rio que com sua altiva elevação dominam, como à região adjacente. Cada mudança…