Poema [Fernando Pessoa]

Ó sino da minha aldeia, Dolente na tarde calma, Cada tua badalada Soa dentro da minha alma. E é tão lento o teu soar, Tão como triste da vida, Que já a primeira pancada Tem o som de repetida. Por mais que me tanjas perto, Quando passo, sempre errante, És para mim como um sonho,…

O quinze (1930), de Rachel de Queiroz

“Sombras vencidas pela miséria e pelo desespero que arrastavam passos inconscientes, na derradeira embriaguez da fome” – Cap. 13, p. 75. Romance de estreia da escritora brasileira, publicado em 1930, O quinze retrata a seca de 1915 vivida por Rachel na sua infância. Assim como em outros romances da década de 30, como Vidas Secas…

Razão e Sentimento, de Jane Austen

Razão e Sentimento ( ou Razão e Sensibilidade) é um romance escrito pela escritora inglesa Jane Austen. Foi o primeiro livro publicado pela autora, em 1811, com o pseudônimo “A Lady”; além desse, a autora escreveu Pride and Prejudice (1813), Mansfield Park (1814) e outros. Na apresentação da edição que tenho¹, Raquel Sallaberry Brião nos…

Emily Dickinson: poemas sobre a morte

Horas felizes aqui pereceram,Este é um poderoso recinto;Em seus espaços brincaram esperanças-Hoje sombras, tão só, no jazigo. ** Se eu não mais ostentar uma rosaEm dias de festival,Será porque, para além da rosa,Fui chamada a retornar. Se eu não mais disser os nomes,Por minhas flores celebrados,Será porque os dedos da morteCerraram meu balbuciante lábio. **…

Citações: “O quinze”, de Rachel de Queiroz

“Na serra, também, o recurso falta… Também o pato seca… Também água dos riachos afina, afina, até se transformar num fio gotejante e transparente” – Capítulo 2, página 15, grifo meu. “Sacudido pela estrada larga do quartau, seguiu rápido, o peito entreaberto na blusa, todo vermelho e tostado do sol, que lá no céu, sozinho,…

5 Sonetos de Amor de Luís de Camões

Quem diz que Amor é falso ou enganoso,Ligeiro, ingrato, vão, desconhecido,Sem falta lhe terá bem merecidoQue lhe seja cruel ou rigoroso. Amor é brando, é doce e é piedoso;Quem o contrário diz não seja crido:Seja por cego e apaixonado tido,E aos homens e inda aos deuses odioso. Se males faz Amor, em mi se vêem;Em…

Quem ora soubesse [ Luís de Camões]

Quem ora soubesse onde o amor nasce, que o semeasse! D’ Amor e seus danos me fiz lavrador: semeava amor e colhia enganos. Não vi, em meus anos homem que apanhasse o que semeasse. Vi terra florida de lindos abrolhos: lindos para os olhos, duros para a vida; mas a rês perdida que tal erva…

“Infância”, de Maksim Gorki

Infância é o primeiro livro de uma trilogia autobiográfica do escritor russo Aleksei Maksimovich Peshkov ( M. Gorki é um pseudônimo). Ele foi escrito entre 1913 e 1914 (Gorki tinha 45 anos). O segundo livro é Ganhando meu pão (1916) e o terceiro é Minhas universidades (1923). Nesse romance há uma narrativa memorialista, onde o…

Sete anos de pastor Jacob servia [Luís de Camões]

Sete anos de pastor Jacob serviaLabão, pai de Raquel, serrana bela;Mas não servia ao pai, servia a ela,E a ela só por prêmio pretendia. Os dias, na esperança de um só dia,Passava, contentando se com vê-la;Porém o pai, usando de cautela,Em lugar de Raquel lhe dava Lia. Vendo o triste pastor que com enganosLhe fora…

Luís Delfino, alguns sonetos

In her book Ela andou por aqui, andou: primeiro,Porque há traços de suas mãos; segundo,Porque ninguem como ela tem no mundoEste esquisito, este suave cheiro!.. Livro, de beijos mil teu rosto inundo,Porque pousaste sobre o travesseiroOnde ela dorme o seu dormir ligeiroComo sono de estrela em céu profundo. Trouxeste dela o olor de uma caçoula,A…