Cantiga do trovador Nuno Fernandes Torneol

Quando mi agora for’ e mi alongar (separar) de vós, senhor (senhora), e non (não) poder’ veer esse vosso fremoso (formosa) parecer (aparência), quero-vus ora por Deus preguntar (perguntar):       Senhor fremosa, que farei enton (então)?           Dized’ (dizei), ay coita do meu coraçon (coração)! E dizede-m (e): en que vus fiz pesar (aborrecer), por…

Antologia de Poemas portugueses para a juventude [Henriqueta Lisboa]

É a arte, incontestavelmente, um dos esteios fundamentais da educação, pela sua capacidade de aprimorar a sensibilidade, desenvolver os sentidos em direção dignificante, estimular a faculdade intuitiva, imaginativa e criadora, promover a compreensão dos seres e das cousas para além dos reinos da inteligência. Fiel a essa convicção, tentei realizar, através da poesia aqui reunida,…

A felicidade conjugal: um olhar sobre Mária Alieksándrovna e Emma Bovary

“Não era em vão que ele dizia existir na vida apenas uma felicidade indiscutível: viver para outrem. Parecia-me estranho, eu não compreendia isto; mas essa convicção, mais do que a idéia, já me penetrava o coração” (p. 103) Eis uma deliciosa leitura nesse mês de julho: A felicidade conjugal, de Tolstói. A novela dá destaque…

“The Light Princess”, de George MacDonald.

“Se ser um grande homem é manter o universo em sua cabeça ou em seu coração, o Dr. MacDonald é grande” – G. K. Chesterton sobre MacDonald em 1901. George MacDonald (1824-1905), escocês, foi um grande escritor que trouxe belissímas obras para a literatura inglesa e para o mundo. The Light Princess (A princesa flutuante)…

Poema [Fernando Pessoa]

Ó sino da minha aldeia, Dolente na tarde calma, Cada tua badalada Soa dentro da minha alma. E é tão lento o teu soar, Tão como triste da vida, Que já a primeira pancada Tem o som de repetida. Por mais que me tanjas perto, Quando passo, sempre errante, És para mim como um sonho,…

O quinze (1930), de Rachel de Queiroz

“Sombras vencidas pela miséria e pelo desespero que arrastavam passos inconscientes, na derradeira embriaguez da fome” – Cap. 13, p. 75. Romance de estreia da escritora brasileira, publicado em 1930, O quinze retrata a seca de 1915 vivida por Rachel na sua infância. Assim como em outros romances da década de 30, como Vidas Secas…

Razão e Sentimento, de Jane Austen

Razão e Sentimento ( ou Razão e Sensibilidade) é um romance escrito pela escritora inglesa Jane Austen. Foi o primeiro livro publicado pela autora, em 1811, com o pseudônimo “A Lady”; além desse, a autora escreveu Pride and Prejudice (1813), Mansfield Park (1814) e outros. Na apresentação da edição que tenho¹, Raquel Sallaberry Brião nos…

Emily Dickinson: poemas sobre a morte

Horas felizes aqui pereceram,Este é um poderoso recinto;Em seus espaços brincaram esperanças-Hoje sombras, tão só, no jazigo. ** Se eu não mais ostentar uma rosaEm dias de festival,Será porque, para além da rosa,Fui chamada a retornar. Se eu não mais disser os nomes,Por minhas flores celebrados,Será porque os dedos da morteCerraram meu balbuciante lábio. **…

Prefácio de Cecília Meireles a “Cartas a um jovem poeta”, 1953

“Não se vai tentar a tarefa quase impossível de falar de Rainer Maria Rilke na brevidade desta apresentação de duas de suas obras, talvez as mais fáceis de traduzir e de explicar, por se comporem, a primeira, da série de dez cartas que dirigiu, entre 1903 e 1908, e, a segunda, do poema “A canção…

Citações: “O quinze”, de Rachel de Queiroz

“Na serra, também, o recurso falta… Também o pato seca… Também água dos riachos afina, afina, até se transformar num fio gotejante e transparente” – Capítulo 2, página 15, grifo meu. “Sacudido pela estrada larga do quartau, seguiu rápido, o peito entreaberto na blusa, todo vermelho e tostado do sol, que lá no céu, sozinho,…