Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói, e não se sente; é um contentamento descontente, é dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; é um andar solitário entre a gente; é nunca contentar-se de contente; é um cuidar que ganha em se perder. É…

A choça do lenhador (1868), de Luís Guimarães Jr.

No dorso da cordilheira Tranquilla, humilde, rasteira, A sombra d’uma aroeira, Cheia de fructos e flor, Exposta ao vento, á invernada, Ás chuvas, á trovoada, alegre morada, Existe a alegre morada, A choça do lenhador. Salvos do mundo ás provanças, Vivem n’ella de esperanças, Dois velhos, quatro crianças Na santa paz do Senhor: Е o…

Aprendam a olhar e confrontem…

Aprendam a olhar e confrontem o que se apresenta aos senhores com suas ideias costumeiras ou secretas. Não enxerguem numa cidade unicamente casas, mas vida humana e história. Que um museu não lhes mostre quadros, e sim escolas de arte e de vida, concepções do destino e da natureza, orientações sucessivas ou variadas da técnica, do…